agenda
-
Ciclo de Seminários de Especialização "Avaliação do Risco no Projecto"
02.01.2012
Departamento de Arquitectura e Urbanismo, ISCTE-IUL
Formadora: Helena Cardoso de Menezes

ENQUADRAMENTO
O Ciclo de Seminários de Especialização Avaliação do risco no projecto resulta de uma parceria entre a H.MENEZES Risk Vision e o Departamento de Arquitectura e Urbanismo do ISCTE-IUL.
A arquitectura e o urbanismo têm uma influência determinante na qualidade de vida das populações com particular destaque para as mais vulneráveis ou mais dependentes do ambiente para assegurar a sua autonomia e autodeterminação. A humanização do ambiente urbano e dos espaços construídos em geral sempre foi reconhecida como uma necessidade incontornável à qual os projectistas têm que dar resposta adequada. Essa humanização passa pela acessibilidade e mobilidade independente, segurança física (individual e colectiva, real e percebida), conforto e mais oportunidades de contacto com a natureza.
Alguns destes factores são já abrangidos por regulamentação específica, apesar de dispersa e, por vezes, contraditória e desactualizada, mas outros ainda dependem fortemente dos conhecimentos e da prática responsável do projectista. Frequentemente, os projectistas salvaguardam a sua responsabilidade civil através da simples observância a esses regulamentos em detrimento de um olhar mais atento às reais necessidades dos utilizadores do espaço consubstanciado num pensamento crítico e responsável.
Uma tomada de decisão informada e consciente do grau de influência de cada escolha e de cada opção de projecto na vida dos utilizadores do espaço constitui um factor crítico para o sucesso da arquitectura.
O novo Regulamento Europeu sobre os Produtos de Construção veio revogar a Directiva de 88 e encontra-se em vigor também em Portugal; estabelece 7 requisitos básicos para as obras de construção que definem as características essenciais a observar nos produtos de construção: um deles, a segurança e acessibilidade na utilização (dos espaços construídos), será um dos temas de base presentes em todos os seminários de especialização que constituem este ciclo. Este factor é indissociável do conceito de construção sustentável, tão em voga mas mais frequentemente conotado com a economia da energia e dos recursos naturais.

APRESENTAÇÃO GERAL
O ciclo de formação sobre Avaliação do Risco no Projecto terá início com o Módulo 1: Avaliação do risco no projecto: conceitos, metodologias e relevância no uso dos espaços. Neste primeiro seminário, será desenvolvido um tema central – avaliação de risco e tomada de decisão – que será posteriormente aprofundado para equipamentos específicos, tais como estabelecimentos de ensino, espaços de jogo e recreio, Espaço Público, zonas verdes e de transporte, espaços residenciais, edifícios públicos, entre outros.

Este primeiro seminário é de frequência obrigatória para inscrição nos módulos seguintes.

OBJECTIVOS
Desenvolver competências de avaliação de risco com vista a escolhas mais informadas e responsáveis no projecto de arquitectura e urbanismo.
Desenvolver uma abordagem crítica em relação a regulamentos e normas, de forma a avaliar a sua abrangência, compreender o propósito dos requisitos e a dimensão e o impacto das suas insuficiências a fim de poder tomar iniciativas para as suprir.
Adquirir conhecimentos e desenvolver competências de avaliação das necessidades de grupos de população mais vulneráveis a fim de eliminar ou reduzir barreiras criadas pelo projecto.

PÚBLICO-ALVO
Estes seminários destinam-se a arquitectos, urbanistas, designers, engenheiros, projectistas, coordenadores de projecto, técnicos autárquicos das áreas de urbanismo e licenciamento de edifícios e estudantes nestas áreas; profissionais de saúde pública ou segurança e higiene no trabalho; profissionais de educação com funções de administração e gestão; profissionais do sector imobiliário.

PRÓXIMAS DATAS E PROGAMA

MÓDULO 1 (2ª edição)
Avaliação do risco no projecto: conceitos, metodologias e relevância no uso dos espaços
25 e 2 6 de Janeiro de 2012

Programa do MÓDULO 1
Introdução
compromissos políticos Europeus e Nacionais sobre Saúde e Ambiente;
princípios de desenho universal;
planeamento urbano, arquitectura e saúde: papel social do projectista.
Conceitos
desenvolvimento humano e teoria da “affordance”;
conceitos de risco - segurança física e psicológica, acessibilidade, inclusão, vida social, autonomia, qualidade de vida;
factores de aceitabilidade do risco;
influência de elementos de projecto na percepção do risco e nas potenciais reacções que determinam o uso do espaço;
percepção vs. avaliação do risco;
Enquadramento legal e constrangimentos
construção, acessibilidade, saúde e ambiente;
directivas comunitárias, leis e regulamentos – convergência ou divergência?
normas e recomendações técnicas – referências obrigatórias ou voluntárias?
Avaliação e Gestão do Risco em projectos de arquitectura e urbanismo
metodologias;
processo de avaliação do risco;
tomada de decisão;
mitigação do risco;
comunicação do risco.

Estes temas serão tratados ao longo da acção, não forçosamente na ordem apresentada

MÓDULO 2
Avaliação do risco no projecto: Estabelecimentos de Ensino
6 e 7 de Março de 2012

Programa do MÓDULO 2
Introdução
Papel da arquitectura escolar
na formação pessoal do individuo e no sucesso dos processos de aprendizagem formais e informais
na prevenção de epidemias do século XXI – obesidade, doença mental, bullying
Papel da avaliação de risco para o sucesso de uma escola promotora de saúde

Enquadramento legal
Análise crítica das directivas de projecto para Creches, pré-escolar, ensino básico e secundário

Envolvente da escola
Espaços exteriores
Edifícios
Mobiliário e outros equipamentos

MÓDULO 3
Avaliação do risco no projecto: Espaços de Jogo e Recreio
2 e 3 de Abril de 2012

Programa do MÓDULO 3

Abordagem conceptual
Desenvolvimento humano, segurança, saúde e inclusão
Vários tipos de EJR, respectivas dinâmicas e oportunidades
Avaliação de risco – impacto das opções de projecto na vivência do espaço
Segurança e Risco
Acidentes em EJR
Normas técnicas - filosofia e conceitos-base; principais requisitos e implicações no projecto
Enquadramento legal e responsabilidades
Projecto
Planeamento e organização do espaço
Equipamentos - riscos e constrangimentos, valor lúdico-pedagógico, potencial de inclusão
Pavimentos e materiais para superfícies de amortecimento de impacto
Vegetação, mobiliário urbano e sinalização
Programa de Manutenção
Construção e Inspecção Pós instalação
Caderno de encargos e acompanhamento da obra
Fundações
Montagem dos equipamentos
Inspecção pós instalação

CANDIDATURAS E PROCESSO DE SELECÇÃO
Recomenda-se experiência profissional no projecto ou na análise e verificação de projecto de edifícios ou espaço público.

As candidaturas deverão ser formalizadas através da ficha de inscrição e enviadas por correio electrónico para secretariado.dau@iscte.pt.
O curso funcionará com um número mínimo de 8 inscritos e máximo de 18.
Será emitido um certificado de formação a todos os participantes cuja taxa de presença seja igual ou superior a 80 %.

CRÉDITOS
Ordem dos arquitectos / 8 créditos de Formação em Temáticas Opcionais de ingresso na Ordem dos Arquitectos na frequência de cada módulo.

CALENDÁRIO, REGIME HORÁRIO E PROPINAS
Módulo 1 – 25 e 26 de Janeiro de 2012
Módulo 2 – 6 e 7 de Março de 2012
Módulo 3 – 2 e 3 de Abril de 2012
Horário: 9h-13h e 14h30-18h30.

VALOR DA INSCRIÇÃO

Inscrições precoces:
Módulo 1 (até 6 Janeiro)
Módulo 2 (até 6 Fevereiro)
Módulo 3 (até 2 Março)

Público em geral: 230 €
Estudantes, ex-alunos ISCTE-IUL e estagiários de ordens profissionais: 125 €

Inscrições tardias:
Módulo 1 (a partir de 7 Janeiro)
Módulo 2 (a partir de 7 Fevereiro)
Módulo 3 (a partir de 3 Março)

Público em geral: 280 €
Estudantes, ex-alunos ISCTE-IUL e estagiários de ordens profissionais: 150 €

Em caso de desistência, o valor da inscrição será parcialmente reembolsado nas condições seguintes:
75 % desistências formalizadas até 20 dias antes do inicio do curso
25 % desistências formalizadas 19 dias ou menos antes do início do curso

CONTACTOS
Secretariado da Escola de Tecnologias e Arquitectura
Marisa Manteigas
secretariado.dau@iscte.pt - 210 464 112


*H.Menezes info@h-menezes.pt – www.h-menezes.pt

BREVE BIO DA FORMADORA
Helena Cardoso de Menezes é uma experiente consultora e formadora em avaliação de risco e segurança infantil, directora geral da empresa H.Menezes Risk Vision, Presidente da Comissão Técnica Nacional responsável pelas normas de segurança para espaços de jogo e recreio, equipamentos desportivos e piscinas; é também representante da ANEC (consumidores europeus) na Comissão Técnica Europeia que desenvolve as normas para parques infantis, processo que acompanha de forma activa desde 1994. Com uma formação inicial na área da Saúde, especializou-se na área da avaliação do risco e a sua influência na segurança, mobilidade, inclusão e bem-estar, com particular destaque para as questões do urbanismo, arquitectura e espaço público dada a sua importância para a saúde global do Ser Humano. Ao longo dos anos, colaborou em diversos licenciaturas, mestrados e doutoramentos e pós graduações, nomeadamente no IST, FAUTL e Faculdade de Motricidade Humana da UTL, Curso de Arquitectura da Universidade Autónoma de Lisboa, Faculdade de Ciências Médicas, Escolas Superiores de Enfermagem e de Educação, Direcção Geral da Saúde, entre outros. É autora de artigos técnicos e de opinião em diversas publicações nas áreas da arquitectura, construção e outras. Deu igualmente inúmeras entrevistas em que o tema da Arquitectura, construção e manutenção, foi abordado, publicadas tanto na imprensa generalista, como em revistas técnicas, de organizações profissionais e de empresas. Publicou e apresentou, em co-autoria com Sara Eloy, duas comunicações sobre Arquitectura, Construção e Segurança infantil, no 7º Congresso da Construção (Coimbra, Dezembro de 2007) e no Colóquio promovido pela AdUrbem sobre os Dez Anos do RJUE (LNEC, Lisboa, Novembro 2009). No âmbito dos seus serviços de consultoria, é solicitada por diversas entidades para efectuar a avaliação de risco de instalações (em projecto, fase de obra ou pós ocupação), com emissão de parecer. É também solicitada para apoio técnico a equipas de projecto responsáveis pelo design de equipamentos lúdicos, pelo projecto de parques infantis (interiores e exteriores), de recreios escolares, de lares para acolhimento de famílias, entre outros. Além da participação activa na elaboração, revisão e interpretação de normas europeias e nacionais - nomeadamente sobre guardas para edifícios (já publicada) e vedações para piscinas (em fase final) -, coordenou e colaborou em projectos de investigação nacionais e europeus relacionados com segurança na construção, edifícios e espaço público, desenvolveu programas de formação e organizou congressos sobre espaços de jogo e recreio, no âmbito da sua colaboração com a APSI (Associação para a Promoção da Segurança Infantil) desde 1992, na qual ocupou vários cargos de Direcção, inclusive a Presidência entre 2001 e Março de 2007.

Subscrever E-Newsletter



 

BA

JA

mais

 

Encontre um Arquitecto
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA
TERÇAS TÉCNICAS