outras notícias
-
Banco Alimentar incentiva troca de papel por alimentos
11.01.2012
Os Bancos Alimentares Contra a Fome vão lançaram uma nova campanha “Papel por Alimentos”, de âmbito nacional, com contornos ambientais e de solidariedade com a qual pretendem incentivar a população a trocar papel usado por alimentos.

Esta campanha integra-se num ideal mais vasto de sensibilização para a importância do papel de cada pessoa na sociedade e para a possibilidade de recuperar e reutilizar coisas que parecem não ter valor. 
Pretende envolver as Instituições que diariamente se abastecem nos Bancos Alimentares e os voluntários que colaboram, mas também todas as pessoas e entidades que se queiram associar, nomeadamente a administração pública e local.

A campanha permitirá incentivar o voluntariado, desde logo porque todo o papel recolhido terá que ser depositado pelos doadores nas instalações do Banco Alimentar Contra Fome da sua região.

Esta acção vai ser desenvolvida em parceria com a Quima, empresa de recolha e recuperação de desperdícios, que por cada tonelada de papel recolhido vai entregar o equivalente a 100 euros em alimentos, indicados pela Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares.

 O seu papel é essencial na luta contra a fome!
 A campanha tem também uma ambição de mudança de mentalidades e atitudes. Para o efeito foram produzidos pela Copidata toalhetes de refeição, através dos quais se pretende difundir a ideia de que é possível ser solidário se se tiver atenção à possibilidade de doar ou reciclar bens que, à primeira vista, parecem não ter valor (neste caso o papel). 
E para chegar aos mais jovens, serão colocados toalhetes de refeição precisamente com esta mensagem em cantinas de universidades e escolas. 

Entregue no Banco Alimentar mais próximo de si todo o papel de que já não precisa!



Sobre os Bancos Alimentares 

Os Bancos Alimentares Contra a Fome distribuem, ao longo de todo o ano, os géneros alimentares recorrendo a Instituições de Solidariedade Social por si seleccionadas e acompanhadas em permanência. Incentivam as visitas domiciliárias e o acompanhamento muito próximo e individualizado de cada pessoa ou família necessitada por estas instituições, de forma a ser possível efectuar, em simultâneo, um verdadeiro trabalho de inclusão social. 
A actividade dos Bancos Alimentares norteia-se pelo princípio genérico da recolha local, ajuda local, aproximando os dadores dos beneficiários e permitindo uma proximidade entre quem dá e quem recebe. Desta forma, possibilita-se o encontro entre voluntários e instituições beneficiárias, por um lado, e entre fornecedores da indústria agro-alimentar, empresas de serviços, poder públicos e o público em geral, em que todos trabalham lado a lado por uma causa comum: a luta contra as carências alimentares e a fome. 

Actualmente em actividade 19 Bancos Alimentares Contra a Fome, nas regiões de Lisboa, Porto, Coimbra, Évora, Aveiro, Abrantes, São Miguel, Setúbal, Cova da Beira, Leiria-Fátima, Oeste, Algarve, Portalegre, Braga, Santarém, Viseu, Viana do Castelo, Terceira e Beja. De acordo com os dados da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares contra a Fome, ao longo de 2011 foram apoiadas mais de 2047 instituições que concederam ajuda alimentar a mais de 325 mil pessoas comprovadamente carenciadas, tendo sido distribuído um total de 32 mil toneladas de alimentos (equivalentes a um valor global estimado superior a 36,5 milhões de euros), ou seja, um movimento médio superior a 105 toneladas por dia útil.


Mais informações:
Banco Alimentar Contra a Fome: 91 900 02 63 / 21 364 96 55- www.bancoalimentar.pt

Subscrever E-Newsletter



 

BA

JA

mais

 

Encontre um Arquitecto
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA
HOMEING