agenda
-
Visões da Natureza no Oriente
06.09.2012
13 Outubro
Museu do Oriente
Conferencistas: Ana Cristina Alves, Daniela Kato, Marta Pedro
Horário: 10h às 13h
Entrada livre, sujeita a inscrição

Este seminário inscreve-se nas actividades regulares do projecto de investigação Filosofia e Arquitectura da Paisagem (seminário permanente XIII) da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT PTDC/FIL-FIL/100565/2008, financiado pela FCT/QREN) e servirá também de introdução geral ao curso sobre Jardins Japoneses, a ministrar pelo mestre Tiago Carvalho, bolseiro de Investigação da Fundação Oriente e membro do projecto Filosofia e Arquitectura da Paisagem.


PROGRAMA

10h às 10h40

O conceito de natureza na China continental e em Taiwan
Conferencista: Ana Cristina Alves
Na primeira parte da comunicação procede-se à análise etimológica do conceito de natureza na China e em Taiwan, bem como ao estudo de um importante mito sobre a génese do cosmos: o Mito de Pangu. Na segunda parte investiga-se o conceito de natureza nas principais filosofias chinesas: Taoísmo, Confucionismo e Budismo. Por fim, realiza-se uma breve comparação sobre a relação dos chineses com a natureza na China continental e em Taiwan.


10h40 às 11h20

“Tasogare no aji"/O sabor do crepúsculo: Ficções e Assombrações da Natureza na Literatura Japonesa Moderna
Conferencista: Daniela Kato
A concepção de natureza, adoptada por uma nação em determinado momento histórico, é profundamente reveladora do seu sentido de possibilidades individuais e colectivas. O Japão constitui um exemplo paradigmático a este respeito. Desmentindo a ideia simplista de que a transição para o século XX teria representado uma trajectória axiomática da natureza em direcção à cultura, do Oriente em direcção ao Ocidente, e da tradição em direcção à modernidade, o pensamento japonês continuou fundamentalmente preocupado com a natureza, embora esta permaneça um conceito em fluxo.

Discutir alguns autores e as suas preocupações centrais neste contexto, nomeadamente o modo como procuram negociar as novas e emergentes relações entre os sexos e entre os vários espaços públicos é objectivo desta comunicação. Será dada particular atenção a Izumi Kyoka (1873-1939), cuja obra se destaca pela rejeição da estética realista então dominante e pela adopção do gótico como veículo privilegiado para dar voz às múltiplas assombrações e terrores trazidos pela inexorável incursão da modernidade no Japão.

Pausa para café

11h40 às 12h20

O Japão Sublime em Frank Lloyd Wright e a qualidade orgânica da concepção espacial japonesa: convergências e aproximações
Conferencista: Marta Pedro
Com base no projecto de investigação Prémio Távora de 2011 “A Song to Heaven ou o Japão Sublime em Frank Lloyd Wright-da viagem de 1905 ao legado na Arquitectura Moderna Japonesa”, pretende esta comunicação apresentar uma reflexão sobre as convergências entre a concepção orgânica do espaço japonês e a obra do arquitecto americano.

Numa aproximação ao conceito de arquitectura orgânica, cunhado e praticado pelo arquitecto, serão apresentados diferentes projectos concebidos por Frank Lloyd Wright que evidenciam uma aproximação à conceptualização e tratamento espacial japoneses, nomeadamente no que respeita ao uso e expressão de materiais naturais, a noção de estética unitária, assim como a integração e presença divinas da natureza. A apresentação será acompanhada por excertos de textos e depoimentos essenciais de Wright, nos quais se destaca a ode poética “A Song to Heaven” que o arquitecto escreve na sua autobiografia, 1938 (publicação original), elogiando a arquitectura e habitação japonesas e enaltecendo a sua qualidade orgânica.


12h20 às 13h
Debate

Ana Cristina Alves é doutorada em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma tese intitulada Representações do Feminino na Cultura Chinesa. A Mulher nos Discursos Filosófico, Religioso e Sociopolítico, aprovada com distinção e louvor. Tem tido um contacto íntimo com a cultura chinesa, tendo residido durante longos períodos em Beijing e em Macau, onde colaborou com o Centro de Difusão de Língua Portuguesa, o Instituto Politécnico e a Universidade de Macau. É autora de várias comunicações, artigos e publicações sobre a China, com destaque para a obra Contos da Terra do Dragão. Colabora actualmente com o Centro Cultura e Científico de Macau.



Daniela Kato é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas e doutorada em Literatura Inglesa pela Universidade do Porto. Viveu vários anos no Japão, onde leccionou no Tokyo Institute of Technology e na Universidade de Tóquio, e trabalhou como investigadora nas áreas de filosofia ambiental e estudos da paisagem. Actualmente é professora associada na Universidade de Zhongnan (Wuhan, China), onde ensina cinema e literatura. Os seus interesses de ensino e investigação centram-se em torno da estética ambiental, ecocrítica, feminismo e literatura de viagens.



Marta Pedro é arquitecta pelo Departamento de Arquitectura da Universidade de Coimbra. O seu forte interesse e inquietação face à cultura urbana e produção arquitectónica japonesas cedo a levam a Tóquio onde vive e trabalha desde 2005. Colaborou com os ateliers dos arquitectos japoneses Toyo Ito e Fumihiko Maki em projectos no Japão, Europa e Estados Unidos.

Em 2008 inicia actividade profissional independente desenvolvendo projectos interdisciplinares em arquitectura, fotografia, e design, tendo sempre o Japão e a cultura japonesa como temas centrais do seu trabalho. É conferencista convidada na Universidade Meiji em Tóquio e membro da direcção do Young Leaders Group, do Urban Land Institute em Tóquio. Em 2011 recebeu o Prémio Fernando Távora, atribuído ao seu trabalho e viagem de investigação “A Song to Heaven, ou o Japão Sublime em Frank Lloyd Wright - da viagem de 1905 ao legado na arquitectura moderna japonesa”.


Inscrição e outras informações.



Subscrever E-Newsletter



 

BA

JA

mais

 

Encontre um Arquitecto
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA
HOMEING