notícias da OA
-
Conclusões do 15.º Congresso dos Arquitectos
31.10.2018
Terminou a 27 de Outubro o 15º Congresso dos Arquitectos, que decorreu pela primeira vez no Algarve, com mais de 300 congressistas, entre Arquitectos, Arquitectos Paisagistas, Estudantes de Arquitectura e de Representantes do Conselho Internacional dos Arquitectos de Língua Portuguesa (CIALP) e do Docomomo Ibérico.

Para José Manuel Pedrerinho, Presidente da Ordem dos Arquitectos (OA) a adesão registada foi "bastante superior à dos últimos Congressos realizados, numa clara demonstração das possibilidades da efectiva descentralização da OA, que urge ser replicada igualmente nas suas estruturas organizativas" disse, no discurso proferido na sessão solene de encerramento.

O Património e a Prática Profissional foram alguns dos assuntos abordados no Congresso da Ordem dos Arquitectos, enquadrada nas celebrações dos 20 anos da sua constituição.
O Congresso aprovou por unanimidade e aclamação um conjunto de recomendações, transmitidas e entregues ao Primeiro-Ministro, António Costa e à Secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, que participaram na Sessão Solene de Encerramento, que contou ainda com as presenças do Presidente do Congresso, Alexandre Burmester e do Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Francisco Malveiro Martins.

A promoção de um entendimento político e da dimensão global de uma Arquitectura que vive e constrói a paisagem e a implementação de um Código de Edificação que simplifique e introduza transparência no procedimento administrativo, uniformizando-o, e que fomente a participação pública foram outras das reivindicações transmitidas por José Manuel Pedreirinho a António Costa.

“Defendemos uma qualidade do edificado que seja representativo de uma verdadeira cultura da construção, da qualidade e uma demonstração de inteligência. Um edificado sustentável, representativo de uma economia que se pretende circular e inclusiva. Para tal, consideramos fundamental o papel da educação e do desenvolvimento cultural, como forma de desenvolver uma cultura onde o papel do arquitecto na melhoria das condições de vida da sociedade possa ser claramente entendido e assumido."

"Não queremos ser parte de um qualquer retrocesso civilizacional, mas sim ser parte da solução para a valorização do território que urge realizar, mas precisamos de condições para o fazer”, afirmou ainda o representante dos arquitectos portugueses.

Em Portugal existem cerca de 25 mil licenciados em arquitectura, de entre os quais 16 mil desenvolvem efectivamente actividade profissional.


Documentos

Subscrever E-Newsletter



 

TSF

JA

mais

 

OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX CONHECER 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA