notícias da OA
-
Ganhar o desafio da eficiência material no projecto
27.04.2021
Numa breve cerimónia que teve lugar ontem, no salão nobre do Ministério do Ambiente e Acção Climática e transmitida pelos canais Youtube e Twitter do Ministério, foi assinado o protocolo “Ações de Formação e Prémios na área do Ambiente e da Sustentabilidade” entre o Fundo Ambiental e a Ordem dos Arquitectos.

Assista à cerimónia e às intervenções.


A Directora do Fundo Ambiental, Alexandra Carvalho, abriu a cerimónia esclarecendo que o Fundo Ambiental é um instrumento financeiro que apoia entidades, actividades e projectos que prosseguem os objectivos do desenvolvimento sustentável contribuindo para o cumprimento das metas nacionais e internacionais em matéria de política ambiental e acção climática.

Perante a “necessidade de responsabilizar e consciencializar cidadãos e organizações, envolvendo-os no caminho da neutralidade carbónica e desafiando-os a desenvolver soluções sustentáveis que garantam uma melhor qualidade de vida para todos”, a Directora considera os dois eixos de acção do protocolo como ferramentas de educação ambiental: a oferta de um quadro da formação e a instituição de dois prémios no domínio da arquitectura (projectos e investigação científica) para “a criação de conhecimento e a capacitação e certificação dos profissionais nas temáticas do Ambiente e da Sustentabilidade”.

Gonçalo Byrne sublinhou um conjunto de oportunidades que o protocolo traduz e “sem dúvida, uma oportunidade de todos, projectistas, cidadãos e governantes, aprendermos a cooperar na construção deste futuro, também presente, sustentável”. Considerou que é preciso saber aprender com a crise que atravessamos, “afinal, um processo em desenvolvimento (…) É preciso estabelecer objectivos e estratégias, para, como arquitectos num projecto, ir fazendo escolhas, abrindo janelas, espreitando o futuro, “caminhando e medindo”. Elegendo e alargando as oportunidades.”

O Ministro, João Pedro Matos Fernandes, encerrou a sessão depois de testemunhar a assinatura do protocolo que, nas suas palavras, “radica na vontade de provocar uma mudança grande na eficiência material da construção”. Na vontade de compromisso da OA, de que deu nota positiva à Direcção por desde logo ter abraçado esta colaboração, reconheceu “a relevância que tem a construção e a actividade do arquitecto para um mundo mais sustentável e que contribua para a maior felicidade das pessoas. A mudança faz-se fazendo que os arquitectos sejam mais exigentes na sua actividade e percebam que o ambiente deixou de ser o pano de fundo para ser a driving force da transformação”.



Documentos

Portal dos Arquitectos

Secção Regional Norte

Secção Regional Centro

Secção Regional Lisboa e Vale do Tejo

Secção Regional Alentejo

Secção Regional Algarve

Secção Regional Madeira

Secção Regional Açores


Newsletter Arquitectos

Habitar Portugal

Terças Técnicas

Jornal Arquitectos

CEPA


Siga-nos no facebook
Siga-nos no Instagram
Siga-nos no YouTube

Contactos
TERÇAS TÉCNICAS ONLINE
OA
OASRN OASRS HABITAR PORTUGAL IAP20 OAPIX 1(-)1 CONGRESSO DOS ARQUITECTOS PORTAL DOS ARQUITECTOS
CAE CIALP DoCoMoMo FEPA UIA